Por que agora é a melhor época para investir em energia solar?

Durante os meses de inverno, muitas pessoas se esquecem dos altos valores cobrados na fatura de luz que a próxima estação pode provocar. E aí deixam para investir em energia solar nos últimos meses do ano. Você também tem essa ideia?

Saiba que esta prática não é a mais adequada, pois o equipamento leva um tempo para começar a gerar créditos para já serem utilizados no verão. Quer entender os motivos para investir em painéis fotovoltaicos ainda no inverno? Explicamos a seguir!

 

Planejamento do investimento

Antes de adquirir o sistema fotovoltaico, você precisa escolher uma empresa de confiança para fazer uma análise do quantitativo necessário para o local de instalação de acordo com a demanda de consumo.

Os profissionais orientam como é o processo, quais são os equipamentos mais indicados para a instalação e qual o tempo médio de instalação do sistema.

 

Avaliação da estrutura

A segunda etapa, consiste em um estudo sobre a capacidade do telhado ou estrutura para instalação dos painéis fotovoltaicos. Os profissionais precisam avaliar se há espaço para os equipamentos, como é a estrutura do telhado para suportabilidade do peso extra, a fiação elétrica e outras questões importantes para dar segurança ao sistema.

Muitas vezes, é necessário realizar ajustes na residência, principalmente quando ela não foi estruturada com a previsão desse investimento em energia solar. A partir dessa análise inicial é que a empresa poderá apresentar um orçamento para a instalação dos painéis fotovoltaicos, considerando a demanda de consumo de energia, o nível de tensão da rede, a tecnologia utilizada e o tempo de trabalho da equipe.

 

Instalação da infraestrutura

O processo de instalação deve ser feito por uma equipe especializada, que engloba profissionais com conhecimentos em engenharia e geologia.

As placas, preferencialmente são instaladas na área da casa com maior incidência de radiação solar e com a inclinação ideal para obter a eficiência esperada. O serviço inicia com a instalação de suportes para as placas, trilhos, painéis e, por último, os cabos são conectados.

Também é necessário instalar o inversor, responsável por levar a energia gerada pelos painéis para a rede da concessionária. Por último, é necessário efetuar a solicitação de acesso do sistema junto à concessionária de energia elétrica para que seja possibilitada a conexão do sistema com a rede elétrica local e também a geração de créditos para o excedente de energia produzida.

 

Prazo para geração de energia solar

O prazo entre o planejamento de toda a infraestrutura, negociação e homologação do sistema de painéis fotovoltaicos pode levar alguns meses. Por isso, recomenda-se iniciar o processo com antecedência para que a residência já esteja gerando luz até o início do verão, tendo um maior aproveitamento da geração de energia.

Em muitas situações, pode-se levar até três meses para o sistema começar a ser utilizada de fato e gerar créditos. Logo, se você deixa para iniciar o processo nos meses de outubro ou novembro, é possível que não consiga obter o benefício da redução na conta de luz ainda no verão.

Por esse motivo, o ideal é iniciar a pesquisa com prestadores de serviço o quanto antes a fim de iniciar o planejamento e investimento em energia solar.

Depois de esclarecida suas dúvidas, sobre o processo de instalação das placas e tempo de resposta para obter a redução na conta de luz. O que acha de dar o próximo passo para ter economia no verão? Então, faça o seu orçamento sem compromisso!

Quanto tempo é necessário para quitar um sistema de energia solar?

Você deseja investir em um sistema gerador de energia fotovoltaica, mas não sabe qual o tempo necessário para quitar o investimento? Para solucionar essa questão, utiliza-se o PayBack, uma técnica de matemática financeira que permite calcular em quanto tempo o dinheiro investido retorna ao seu bolso.

No caso de um empreendimento fotovoltaico, é necessário levar em consideração fatores como valor da tarifa de luz, impostos (ICMS), inflação energética, gastos com a instalação, economia gerada após o funcionamento do sistema, potência do sistema instalado e o índice de radiação solar que a região possui.

No Brasil, o tempo de PayBack pode variar bastante, por conta dos diferentes climas presentes nas cinco regiões e dos valores cobrados em cada local, por isso, é importante que cada caso seja estudado individualmente. Segundo projeção realizada pela ANEEL, o tempo de retorno médio no país é próximo a 5 anos. Com isso, supondo que a vida útil de um sistema fotovoltaico instalado seja de 25 anos, serão 18,6 anos gerando a própria energia.

 

Como o cálculo é feito?

Imagine que a taxa de luz da sua casa seja de R$ 500,00 por mês. Investindo em um sistema fotovoltaico de R$ 28.000,00, esse gasto pode ser reduzido para R$ 100,00. Com isso, façamos o cálculo para saber em quanto tempo levará para esse investimento ser quitado, por meio de uma fórmula simples:

 

PAYBACK = Investimento Inicial / Economia Obtida

Nesse caso:

PAYBACK = 28.000 / 400

PAYBACK = 70

Ou seja, o investimento se pagará em 70 meses. Após esse tempo, você terá energia gratuita para ser utilizada à vontade, durante toda a vida útil do sistema.

 

Afinal, a energia solar é econômica?

Sim!

Hoje, a energia solar é um dos investimentos com maior retorno financeiro. Além de, na maioria dos casos, poder quitar o empreendimento em menos de 5 anos, você tem a garantia de uma energia limpa e gratuita por aproximadamente 20 anos, que pode ser sempre renovada, após o fim da vida útil do sistema (duração média de 25 anos).

 

Qual o primeiro passo?

Para entender qual o sistema ideal para a sua casa ou empresa, é importante contar com o auxílio que quem entende do assunto, para que assim seja feita uma avaliação completa, que garanta resultados eficazes. A Renovigi atua desde 2012 no ramo de energia fotovoltaica, proporcionando o melhor serviço a seus clientes e parceiros. Além disso, oferece condições diferenciadas de financiamento (saiba mais clicando aqui) e garantia de até 25 anos em seus produtos (conheça nossos produtos clicando aqui).

 

Ficou interessado? Quer saber mais? Solicite um contato com a gente clicando aqui.

Famílias de Chapecó recebem doações de alimentos em meio à pandemia

Entre os valores da Renovigi Energia Solar, o conceito “trate os outros como você gostaria de ser tratado” remete ao mais puro sentimento de empatia. Por isso, em meio à pandemia da Covid-19, os colaboradores da empresa não mediram esforços para auxiliar quem mais precisa de ajuda neste momento.

Por conta disso, no mês de maio a empresa arrecadou cestas de alimentos não perecíveis para doar ao Projeto Maria Leite, que atua no Distrito de Marechal Bormann em Chapecó (SC). O projeto é desenvolvido para crianças e jovens com o objetivo de proporcionar qualidade de vida aos participantes por meio do esporte.

De acordo com Valmir Pedroso, professor e voluntário do projeto, todos os alunos que participam do projeto foram atendidos. Algumas famílias relataram não precisar da ajuda no momento, e por isso os mantimentos foram distribuídos para amigos e vizinhos dos alunos. “Realizamos um mapeamento com as agentes de saúde, e realizamos a entrega de alimentos para outras famílias que estavam precisando.”, afirma Valmir.

O engajamento social dos colaboradores faz parte da essência do time da Renovigi. De acordo com Débora Matté, Gerente do departamento de Gestão de Pessoas, “O respeito e responsabilidade social está em nosso DNA. Todas estas ações fazem parte do nosso cotidiano, por isso as doações acontecem anualmente.”

Para o mês de junho, a meta da empresa é movimentar mais uma vez o espírito social dos colaboradores. Através de uma live junina, o objetivo é arrecadar cerca de mil peças de agasalhos e alimentos para doação.

Governo cria socorro ao setor elétrico, e conta de luz pode aumentar em 2021governo-cria-socorro-ao-setor-eletrico-e-conta-de-luz-pode-aumentar-em-2021/

O governo federal publicou nesta segunda-feira (18), em edição extra do “Diário Oficial da União”, um decreto para estabelecer as regras de empréstimo para distribuidoras de energia elétrica. A medida passa para o consumidor o aumento da cobrança da conta de luz a partir de 2021.

O decreto não estipula o valor do empréstimo, que será fixado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e não deverá ultrapassar o total de R$ 14 bilhões.

O objetivo do socorro é cobrir o rombo financeiro no setor elétrico, gerado pela queda no consumo de energia e pelo aumento da inadimplência, reflexos da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. O empréstimo também cobrirá o adiamento até 30 de junho do aumento de tarifas de algumas distribuidoras.

A partir de 2021, os consumidores vão passar a pagar o empréstimo por meio da cobrança de uma tarifa adicional nas contas de luz. O valor será parcelado em 60 meses, ou seja, a quitação deve ocorrer apenas em 2025.

Como cada distribuidora receberá uma parcela diferente do empréstimo, o valor a ser pago por consumidores atendidos por uma distribuidora será diferente do que vai ser pago pelos clientes de outra.

Com o empréstimo, o governo vai permitir a antecipação de recursos que já seriam pagos pelos consumidores nas contas de luz. Os recursos vão servir para cobrir diversos custos do setor elétrico (leia mais abaixo).

O que diz o decreto

O texto prevê que os valores das operações irão compor a “Conta-covid”, gerida pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Esses recursos pagarão, entre outros itens:

  • custo da sobrecontratação de energia, resultante da queda na demanda;
  • adiamento dos reajustes tarifários de algumas distribuidoras até 30 de junho;
  • postergação de pagamento de grandes consumidores, para que possam pagar a energia consumida, e não a contratada.

Pandemia

A pandemia do novo coronavírus provocou efeitos na economia global. No caso do setor elétrico, houve forte impacto na receita das distribuidoras, principalmente em razão da queda na demanda e do aumento da inadimplência.

No início do mês, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, informou que a inadimplência no setor saltou de 3% para 12%.

Outros pontos

Saiba outros pontos do decreto:

  • Os valores destinados a cada distribuidora serão fixados mensalmente pela Aneel;
  • Para receber recursos do empréstimo, as distribuidoras terão que atender algumas condições, como não suspender ou reduzir os contratos de compra e venda de energia elétrica.

 

 

*Fonte: Portal G1.

Investimentos em energia solar para residências ultrapassam R$ 5,1 bilhões no Brasilinvestimentos-em-energia-solar-para-residencias-ultrapassam-r-51-bilhoes-no-brasil/

O investimento acumulado em sistemas de energia solar fotovoltaica instalados em residências atingiu no primeiro semestre de 2020, R$ 5,1 bilhões no País, segundo dados apurados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR). De acordo com o mapeamento, os domicílios respondem por 38,9% dos cerca de 2,3 gigawatts de potência instalada em operação nos telhados e fachadas.

A fonte solar fotovoltaica representa atualmente 99,8% de todas as conexões de geração distribuída no País e possui cerca de 200 mil sistemas instalados, espalhados em mais de 79,9% dos municípios brasileiros. O levantamento da ABSOLAR mostra que já são cerca de R$ 11,9 bilhões em investimentos acumulados desde 2012 na geração solar distribuída.

Em número de sistemas solares fotovoltaicos instalados, os consumidores residenciais estão no topo da lista, representando 72,60% do total. Em seguida, aparecem as empresas dos setores de comércio e serviços (18%), consumidores rurais (6,3%), indústrias (2,7%), poder público (0,4%) e outros tipos, como serviços públicos (0,04%) e iluminação pública (0,01%).

Segundo Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR, os consumidores residenciais possuem papel de destaque na adoção e no uso da energia solar fotovoltaica, pois são pressionados com as tarifas de energia elétrica mais altas do Brasil. “As residências são responsáveis por 21,4% de toda a energia elétrica consumida no Brasil. É o segundo maior consumidor de energia elétrica do País, logo depois das indústrias. A energia solar fotovoltaica é uma importante opção para as pessoas reduzirem em até 90% os gastos em suas casas com energia elétrica. É economia no bolso dos brasileiros, aliviando o seu orçamento e protegendo contra aumentos excessivos na conta de luz. Além disso, é uma fonte renovável, limpa e sustentável que contribui para a sustentabilidade do Brasil”, destaca Sauaia.

5 motivos para adotar a Energia Solar residencial5-motivos-para-adotar-a-energia-solar-residencial/

O Brasil possui enorme potencial energético solar em toda sua extensão. Segundo o presidente Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), Rodrigo Sauaia, “há um interesse cada vez maior da população, das empresas e também de gestores públicos em aproveitar seus telhados, fachadas e estacionamentos para gerar energia renovável localmente, economizando dinheiro e contribuindo na prática para a construção de um País mais sustentável”.

Segundo levantamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), desde a criação das normas para geração distribuída de potência proveniente da luz e do calor do sol, em 2012, até 2016, foram instalados 2.600 sistemas. De 2016 para 2017, esse número já era de 26 mil. A meta inicial para 2019 era de 104 mil sistemas e o ano terminou com 134 mil, superando o objetivo.

Apesar do avanço, o Brasil continua com o aproveitamento abaixo do seu potencial. São mais de 15 anos de atraso em relação ao setor fotovoltaico de outros países, mesmo contando com uma das posições mais privilegiadas para a geração de potência limpa em todo o mundo. Os Estados Unidos, a Alemanha, China, Itália, o Japão e a Espanha já estão usando o potencial solar em grande escala. Por aqui, os incentivos para utilização de energia verde ainda são incipientes.

Confira 5 motivos para adotar essa medida na residência:

1 – Economia na conta de luz

Esse é o principal atrativo. Segundo a ABSOLAR, com a utilização do sistema é possível chegar a 90% de economia e o investimento costuma sair em torno de R$ 15 mil, pensando em uma residência da média brasileira, para uma família de quatro pessoas. Dependendo do tamanho do imóvel, do consumo de potência e dos equipamentos utilizados, é necessária uma quantidade maior de módulos fotovoltaicos, o que encarece o processo.

2 – Retorno do investimento em curto prazo

Para fazer a utilização do sistema residencial é necessário um investimento inicial, mas o retorno não demora e o novo equipamento se paga em um prazo de 4 a 7 anos, dependendo de como a energia é utilizada. Após esse período, a economia é lucro.

3 – Pouca manutenção

Outra vantagem do sistema solar residencial é o seu período de revisão, que é considerado baixo. A limpeza dos módulos pode ser feita pelo próprio consumidor, o que já reduz gastos, e só precisa ser feita quando as placas estiverem muito sujas, o que demora a acontecer, já que a própria chuva ajuda na limpeza da poeira. No entanto, uma vez por ano é necessária uma inspeção elétrica do seu sistema, para que ele siga trabalhando com qualidade.

4 – Vida útil

Após a instalação das placas fotovoltaicas, o período de vida útil é considerado longo: mais ou menos 25 anos. A instalação que chegar ao seu 25º ano de utilização, provavelmente ainda terá 80% das suas funções sadias em comparação com o dia da instalação inicial.

5 – Valorização do imóvel

O preço médio das propriedades que contam com o conjunto tem até 10% de aumento. Além de ser um investimento que garante a economia de energia, o sistema também faz com que o seu bem valha mais.

Uso da energia fotovoltaica cresce nas propriedades rurais em meio a pandemiauso-da-energia-fotovoltaica-cresce-nas-propriedades-rurais-em-meio-a-pandemia/

Em momentos de crise econômica, cortar custos é fundamental para manter a rentabilidade. Um dos caminhos encontrados pelos produtores rurais é o uso da energia fotovoltaica.

Segundo dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, o investimento em geração distribuída solar fotovoltaica nas propriedades rurais já passa de R$1,2 bilhão no Brasil.

Para facilitar o acesso dos produtores rurais, incluindo os de agricultura familiar, existem várias linhas de financiamento. “As oportunidades de financiamento para energia fotovoltaica nos últimos tempos só cresceram, portanto é possível encontrar uma linha que seja adequada. Além disso temos na Renovigi uma equipe especializada em financiamentos e sempre auxiliamos esse processo”, pondera Alcione Belache, CEO da Renovigi.

O CEO da Renovigi reforça que existe uma procura cada vez maior  dos produtores em instalar sistemas solares, “as despesas com energia cresceram muito, e tem se apresentado como um dos custos fixos mensais mais altos nas propriedades”.

Energia solar no campo

O uso da energia fotovoltaica no campo é muito variado, podendo ser utilizado no bombeamento e irrigação da água, na refrigeração de carnes, na produção de leite, na regulação de temperatura para a produção de aves e frangos, entre outras muitas necessidades.

Felix Muraro é um destes produtores que gere de forma sustentável a sua propriedade.  Há dois anos ele instalou em sua área um sistema de energia renovável na propriedade da família em Chapecó (SC).

Na fazenda de 100 hectares dedicada a produção de leite foram investidos cerca de R$120 mil reais em um sistema de 42 quilowatts (kW) de potência. Muraro  também produz milho no verão, que utiliza como silagem para as 90 vacas em lactação.

“Um dos nossos maiores custos é a energia elétrica. Aqui na fazenda fizemos três ordenhas diárias, o que antes da instalação nos dava um custo fixo mensal de mais de R$ 2 mil reais mensais. Hoje pagamos menos de R$300,00 reais, o que nos possibilitou investir em outras melhorias”, comemora Felix.

Atualmente cerca de 8,7% da potência instalada na geração distribuída a partir do sol, no Brasil, está no campo. “Outro fator de grande relevância é que estamos passando por períodos de seca, e segundo os meteorologistas esse período pode perdurar mais um tempo. O que significa que poderemos ter um aumento na conta de luz, já que a maioria da matriz energética do Brasil é de usinas hidrelétricas e é diretamente ligada ao volume de chuvas. Aquele produtor que já está usando a energia solar, sabe que a produção de energia que vem do sol nunca vai parar”, finaliza Alcione.

Renovigi doa 18 sistemas fotovoltaicos para instituições em combate ao Covid-19renovigi-doa-18-sistemas-fotovoltaico-para-instituicoes-em-combate-ao-covid-19/

Com mais de 70 mil indicações, a Renovigi Energia Solar anunciou as 18 entidades filantrópicas ganhadoras dos sistemas fotovoltaicos da campanha realizada com o embaixador da marca, Michel Teló. O público movimentou as redes sociais da marca, indicando entidades sociais de todo o país.

O resultado foi anunciado pelo CEO da empresa Alcione Belache, durante uma live no perfil oficial da Renovigi no Instagram. Foram doados sistemas de 5kW, com valor médio de mercado de R$ 30 mil. Ao longo da vida útil, de 25 anos, a economia gerada ficará próxima dos 2 milhões de reais.

“Sabemos que neste momento cada um tem que ajudar conforme pode e que todo auxílio pode fazer uma grande diferença na vida do próximo. A conta de luz é uma despesa fixa com a qual muitas organizações vão sofrer a partir de agora. Fica aqui meu agradecimento ao Michel por ter nos buscado neste momento”, conta Alcione Belache, CEO da Renovig.

A campanha foi divulgada pelo próprio cantor, durante a live “Churrasco do Teló em Casa”, transmitida pelo Instagram e por seu canal do Youtube. Entre uma música e outra, o cantor anunciou que a Renovigi iria beneficiar instituições sociais envolvidas no combate ao coronavírus ou que atendam pessoas que serão impactadas nesse momento.

Conheça as instituições ganhadoras:

A doação de sistemas fotovoltaicos faz parte do projeto Energia do Bem, que desde 2018 doa sistemas de energia solar para instituições filantrópicas de todo o país. No ano passado, foram 100 sistemas. Para este ano, a meta deve se manter e devido a atual situação, a Renovigi iniciou as doações de 2020 para instituições que estão trabalhando em prol à sociedade neste momento difícil.

Que possamos recomeçar, juntos!

Residências com energia solar têm alívio na conta de luz em meio à criseresidencias-com-energia-solar-tem-alivio-na-conta-de-luz-em-meio-a-crise/

O uso de energia solar fotovoltaica pelas residências brasileiras tem sido uma importante opção para reduzir gasto em tempos de isolamento social e queda da atividade econômica. Um exemplo disso vem do microempresário Célio Gurgel, de Fortaleza, Ceará, que possui um pequeno sistema fotovoltaico instalado no telhado de sua casa há seis meses. Com isso, conseguiu economizar, em média, 70% na conta de luz mensal.

“Estou muito satisfeito por ter adquirido a energia solar por dois motivos. O primeiro é o financeiro, pois, com o sistema fotovoltaico, consigo reduzir o valor da conta e usar essa economia em outras despesas. O segundo é a questão da sustentabilidade, pois a luz solar é natural, não-poluente e praticamente inesgotável”, comenta Gurgel.

“O tempo de retorno está estimado em quatro anos, lembrando que o sistema tem vida útil de pelo menos 25 anos”, acrescenta Jonas Becker, coordenador estadual da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) no Ceará e executivo da ECO Soluções em Energia, responsável pelo projeto na residência de Gurgel.

Um sistema fotovoltaico bem dimensionado pode reduzir os gastos com eletricidade dos consumidores em até 95%. Isso alivia o orçamento das famílias e permite destinar os recursos para outras necessidades essenciais, como alimentação, saúde e educação.

Segundo mapeamento da ABSOLAR, desde 2012, os investimentos privados acumulados em sistemas fotovoltaicos nas moradias ultrapassam R$ 4,2 bilhões no País. As residências brasileiras representam 72,6% de todos os sistemas de geração distribuída solar fotovoltaica, de um total de mais de 210 mil conexões espalhadas por mais de 81% dos municípios do Brasil.

“Há no País mais de 70 linhas de financiamento para quem quer adquirir energia solar, com taxas de juro a partir de 0,75% ao mês, o que viabiliza a instalação. Muitas vezes, a economia na conta de luz trazida pela solar já paga a parcela do financiamento e ainda libera recursos para as famílias”, destaca Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

Para Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR, os consumidores residenciais possuem papel de destaque na adoção e no uso da energia solar fotovoltaica, pois pagam os maiores preços do País pela energia elétrica que consomem. “Por isso, a tecnologia se tornou uma importante aliada neste momento crítico da economia brasileira e mundial”, comenta. “A tecnologia traz economia direta ao bolso dos brasileiros, alivia o orçamento das empresas e dos governos, os protege contra aumentos anuais das tarifas e ainda ajuda o meio ambiente e a sustentabilidade”, completa.

Com Energia Solar, morador utilizará de créditos para compensar fatura de luz no invernocom-energia-solar-morador-utilizara-de-creditos-para-compensar-fatura-de-luz-no-inverno/

Neste período em que a estação mais fria do ano se aproxima, principalmente no Sul do Brasil, vários brasileiros se preparam para o aumento na fatura de luz. Entretanto, há uma alternativa eficaz para este período: investir em energia solar.

Gerar energia através do sol, é uma das tecnologias que vem crescendo no cenário nacional quando se trata de economia. Um investimento que gera resultado logo no primeiro mês de instalação.

Este foi o objetivo de Aleson Varnier, cliente Renovigi que procurou a Energia Solar para auxiliar nas suas despesas mensais que chegavam até R$350. “A decisão se deu devido ao gasto da fatura de energia, que mês a mês estava alterando. Instalamos em duas residências, uma gera e outra compensa”, afirma Varnier.

Já no primeiro mês, a família comprovou a economia gerada. Com o sistema instalado há dois anos, a fatura de energia elétrica atualmente se aproxima à R$ 28,00 mensais em uma das duas residências monofásicas, enquanto a  bifásica tem o gasto de R$ 48,00.

Mas além do resultado a curto prazo, o Técnico em Mecânica comemora que com a proximidade do inverno, ele já possui créditos suficiente para suprir sua conta de luz tranquilamente durante o período mais frio do ano. Mesmo com o aumento do consumo, principalmente dos eletrodomésticos.

O morador de Xaxim (SC), conheceu os produtos da Renovigi através das redes sociais e escolheu a Engetrom Engenharia como instaladora do seu sistema. De acordo com a proprietária da empresa, Cláudia Trombetta, o cliente buscava qualidade de produtos, “Ele chegou até nós através de uma promoção lançada pela marca, confiou em nós e nos equipamentos”, afirma.

Além de garantir que a sua fatura não virá com surpresas durante o inverno, ele consegue observar diariamente o retorno no seu investimento. “Os produtos da Renovigi são ótimos, atendeu às expectativas desde o início da instalação. Instalou, gerou e economizou”, finaliza Varnier.

E aí, que tal garantir a sua economia neste inverno?  Fale conosco clicando aqui!

Consumidor de baixa renda está isento de pagar conta de luz até junhoconsumidor-de-baixa-renda-esta-isento-de-pagar-conta-de-luz-ate-junho/

Uma Medida Provisória (MP) que isenta o pagamento da conta de luz para consumidores de baixa renda, foi publicada nesta quarta-feira (08) na edição extra do Diário Oficial da União. De acordo com a MP, o projeto será aplicado para a população que tem o consumo mensal de energia elétrica inferior ou igual a 220 quilowatts-hora (kWh). O período do benefício será de 1º de abril a 30 de junho de 2020.

Para isso, fica a União autorizada a destinar recursos para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), limitado a R$ 900 milhões, a fim de cobrir os descontos relativos à tarifa de fornecimento de energia elétrica dos consumidores incluídos na Tarifa Social.

A medida decorre das ações temporárias emergenciais destinadas ao setor elétrico para enfrentamento do estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020, e da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da pandemia de coronavírus (covid-19).

A decisão do governo federal de isentar a tarifa de energia elétrica dos consumidores de baixa renda foi uma das medidas anunciadas pelo presidente Jair Bolsonaro, durante pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, na noite de ontem.

Investimento em bem-estar dos colaboradores é chave para o sucesso da Renovigiinvestimento-em-bem-estar-dos-colaboradores-e-chave-para-o-sucesso-renovigi/

Frutas, ginástica laboral, bicicleta elétrica para o uso dos colaboradores, psicóloga para atendimento na empresa, incentivo a cursos de pós-graduação ou ainda inglês. Estes são alguns dos benefícios que os mais de 170 colaboradores da Renovigi possuem. Nos últimos três anos, além do 13º, todos receberam também o equivalente a 2 salários a mais referente ao PPR – Programa de Participação de Resultados.

“Oferecer benefícios é uma via de mão dupla. Ou seja, não são apenas os nossos colaboradores que são beneficiados, a Renovigi, também. Em 2019, nosso resultado foi 240% superior a 2018 e continuamos em um processo de crescimento. Para este ano, pretendemos dobrar nosso faturamento. Eu sei que todas as pessoas do nosso time trabalham alinhadas e motivadas e isso impacta em nosso resultado”, comemora Alcione Belache, CEO da Renovigi.

Um dos grandes diferenciais da Renovigi é saber fazer a gestão de benefícios de forma assertiva. Em tempos de alta de combustível, por exemplo, a Renovigi disponibiliza uma bicicleta elétrica para que caso alguém precise ir ao banco, ou ao mercado, farmácia, ou até mesmo em casa pegar algo, possa ir sem precisar tirar o carro ou ir a pé em dias muito quentes ou muito frios.

“Trabalhamos de forma estratégica com a área de Recursos Humanos. Afinal, profissionais de alta performance que têm fit com a cultura organizacional geram resultados diretos para a empresa e fazem toda a diferença”, pondera Alcione.

A gerente de recursos humanos da Renovigi, Débora Matté, explica que promover medidas para valorizar os colaboradores é um pilar fundamental na atração e na retenção de talentos. “Na Renovigi, a troca de colaboradores, o chamado turnover, é muito baixa. E temos a clareza de que um dos nossos diferenciais é o modo como respeitamos, motivamos e acolhemos nosso time. Outro grande diferencial é buscar investir em quem está conosco. Quando abrimos uma vaga, primeiro analisamos se temos aquele perfil internamente para depois abrir a vaga para o mercado. Reconhecemos os nossos talentos e investimos neles”.

Débora ainda explica que promover ações internas que deixem o ambiente de trabalho mais atrativo e leve é um diferencial. “Aqui na Renovigi as conquistas diárias são celebradas. Comemoramos os aniversários de nossos colaboradores, possibilitamos horários flexíveis, pois prezamos pelo bem estar de todos. As pessoas estão buscando algo mais que somente salário. Na Renovigi, ou Reno, como é carinhosamente chamada pelos colaboradores, qualidade de vida é fundamental”.

Uma equipe satisfeita, motivada e que desenvolve um senso de pertencimento em relação à empresa tende a apresentar muito mais produtividade nas atividades diárias, e o resultado é alcançar melhorias no desempenho geral e no alcance das metas corporativas.

“Vemos no nosso crescimento o quanto essas atitudes geram resultados. Conseguimos manter um ambiente saudável, rentável, sustentável e escalável financeiramente. Os nossos números não nos deixam mentir, estamos crescendo e com isso podemos dividimos nossos resultados, seja através do PPR, ou de outros investimentos”, comemora Belache.  “Muitas empresas dizem que seguem o modo Google de engajamento, eu primo em dizer que aqui temos o jeito Renovigi de ser”, finaliza o CEO.

 

Sobre a Renovigi

Com mais de 800 mil painéis solares já distribuídos no Brasil, a Renovigi se destaca no mercado fotovoltaico brasileiro pela excelência no atendimento e pela qualidade de seus produtos. Hoje a empresa é líder em satisfação do consumidor, com 99% de clientes que indicariam a marca para um amigo, além disso, está no pódio nacional de preferência das empresas instaladoras e foi premiada em 2017 e 2018 pela EXAME e Deloitte como a Média Empresa com maior crescimento no Brasil. Esses números são fruto do empenho mútuo entre a equipe Renovigi e suas mais de 6000 empresas credenciadas, espalhadas por todas as regiões do país.