bicicleta-eletrica-vira-alternativa-de-transporte-em-regioes-do-brasil

Bicicleta elétrica vira alternativa de transporte em Regiões do Brasil

As bicicletas elétricas tornaram-se alternativas sustentáveis e práticas para os paulistanos nos últimos dois anos. Capazes de atingir até 25 km/h – velocidade máxima permitida em ciclofaixas e ciclovias, segundo o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) –, as elétricas vêm atraindo um público que pretende aliar o útil ao sustentável.

Entre os desafios de transpor as ladeiras de São Paulo,  com o receio de chegar suado ao trabalho, a e-bike supriu essas necessidades. Com a ajuda do motor, ela garante uma partida mais rápida de um semáforo e a possibilidade de pedalar próximos aos carros.



De acordo com dados levantados pelo Estadão, há dois grupos predominantes que estão mais interessados nesta novidade: quem usa carro e quem depende de muitos modais no transporte coletivo: sai a pé de casa até a estação de metrô, por exemplo, depois ainda pega um ônibus e tem de caminhar mais um pouco até o trabalho.

Em geral, os usuários são ciclistas iniciantes que pedalavam pouco ou quase nada, e veem na e-bike uma alternativa para fugir do trânsito, economizar e adquirir um novo estilo de vida.

EM CHAPECÓ

Em Chapecó, essa iniciativa já ganhou as Ruas da cidade. Conforme matéria realizada pela RenoTV, algumas pessoas já perceberam a praticidade em deixar o carro em casa e se aventurar pelas ciclovias.

O empresário Leonir Carminatti, adotou essa alternativa. Ele que sempre gostou de bicicleta, hoje encontra caminhos alternativos para ir ao trabalho após a aquisição da e-baike.

“Agora ficou ainda mais prático. Sem falar que a economia é muito grande. Economia de combustível, economia de saúde e principal, do meio ambiente.”, afirma Carminatti.

Outro fator que enche os olhos de quem decide investir na bicicleta elétrica, é a praticidade na hora de “estacionar”. Com o crescimento das cidades, cada vez mais está difícil encontrar um estacionamento próximo ao seu local de trabalho, ou até mesmo, do lugar que você precisa frequentar.

Por conta disso, essa novidade se tornou tendência e vem crescendo no mercado consumidor. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), em 2017 o Brasil importou 2.165 bicicletas elétricas inteiras. Somente até agosto deste ano, o número quintuplicou: o País importou 13.203 e-bikes. A tendência é tão nova que a classificação fiscal do produto foi criada pela Receita Federal somente ao final de 2016.

“O mundo é elétrico. Cada vez mais a mobilidade e todas as coisas que se praticam encima da eletricidade está em mudança. A Bicicleta é o primeiro passo.”, finalizou.

RenoTV: Empresário troca conforto de um carro por bicicleta elétrica

Com informações: Estadão https://www.estadao.com.br/

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Assine e receba as novidades por email!